16 de agosto de 2020

ENZO FERRARI


Enzo Anselmo Giuseppe Maria Ferrari nasceu no dia 20 de Fevereiro de 1898 em Modena, Itália.
Fundador da mais venerada de todas as equipas de automobilismo, Enzo Ferrari foi descrito durante a sua vida, de várias maneiras. A mais lendária figura do desporto automóvel, um autocrata antipático, um homem mal compreendido e essencialmente bondoso, um rude camponês italiano, um génio em matéria de organização, um homem que se satisfazia com o conflito, um pai amoroso que nunca superou a morte do seu filho, um manipulador de homens. Talvez até certo ponto, Enzo Ferrari, fosse tudo isso, mas de certeza que nunca foi uma pessoa comum.
Filho de um metalúrgico, Enzo Ferrari, desde criança que tinha um fascínio por carros e motos. Após servir o exército italiano na Primeira Guerra Mundial, conseguiu um emprego como condutor de chassis de camião, conduzindo-os até ao sector onde produziam a carroçaria.
Com o sonho de se tornar piloto de corridas, frequentava bares e restaurantes nas proximidades de Milão, onde circulavam muitas pessoas ligadas às competições e fez amizade com Ugo Sivocci, chefe do departamento de testes e por vezes piloto de corridas na empresa CMN (Costruzioni Meccaniche Nazionali). Enzo Ferrari conseguiu convencer Sivocci que precisava de um assistente e pouco tempo depois estava a realizar as sua primeiras experiencias em competições, participando em provas de curta duração.
Em 1920, Enzo Ferrari, ingressou no departamento de corrida da Alfa Romeo, onde assumiu as funções de responsável pelos testes e também piloto em algumas corridas. No final de uma prova e depois de ter alcançado a vitória, foi presenteado com um escudo, que trazia o emblema do cavalo empinado pertencente ao antigo às dos ares da Primeira Guerra Mundial, Francesco Baracca, pelo pai do aviador. O escudo foi adoptado por Ferrari, como seu distintivo pessoal e permanece até hoje, nos carros que têm o seu nome.
As suas limitações como piloto revelaram-se quando a Alfa Romeo o inscreveu no Grande Prémio de França de 1924. Depois de conduzir o carro das sessões de treinos, Enzo Ferrari, fingiu estar doente e regressou a casa de comboio. Desde esse dia que as suas espectativas como piloto de competição terminaram e concentrou-se no comando dos concessionários que a Alfa Romeo tinha adquirido.
Em 1929, criou a sua própria equipa, Scuderia Ferrari. No início como administrador de carros desportivos.
As suas ligações à Alfa Romeo ainda eram fortes e quando decidiu voltar às competições, de forma não oficial, em 1930, a Scuderia Ferrari tornou-se o departamento de competições da Alfa Romeo. Com pilotos como Tazio Nuvolari, Achille Varzi, a equipa conseguiu excelentes resultados, mas no final da década de trinta, a sociedade que mantinha com a Alfa Romeo, foi dissolvida abruptamente quando Enzo entrou em choque com a nova administração.
O próximo passo foi passar a fabricar os seus próprios carros de competição e pouco tempo depois apareceram dois modelos desportivos que alinharam na Millie Miglia de 1940.
Quando as competições foram reiniciadas, depois da Segunda Guerra Mundial, havia carros de marca Ferrari a disputar os Grandes Prémios e continua a haver nos dias de hoje.
Enzo Ferrari, permaneceu no comando da equipa até ao dia da sua morte, em 14 de Agosto de 1988. Um patriarca todo-poderoso envolto numa aura mística que ele próprio apreciava cultivar.

1 comentário:

Por Dentro dos Boxes disse...

Foi um grande visionário... um apaixonado pelo que fazia... e proporcionou aos italianos e fãs de todo o mundo uma paixão sem precedentes pela equipe do "cavalinho rampante"...